Image hosted by Photobucket.com

Recomeçar


Recomeça...

Se puderes

Sem angústia

E sem pressa.

E os passos que deres,

Nesse caminho duro

Do futuro

Dá-os em liberdade.

Enquanto não alcances

Não descanses.

De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,

Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.

Sempre a sonhar e vendo

O logro da aventura

És homem, não te esqueças!

Só é tua a loucura

Onde, com lucidez, te reconheças...


Miguel Torga


Nome:
Local: Porto Alegre, RS, Brazil

Procurando respostas...

Zoundry Blog Writer

Tire todas as suas dúvidas sobre blogs.

Divulgue o seu blog!

All Images Hosting

Follow sansei10 on Twitter

31.8.05

Piuííííí

Seguir em frente, tão somente no ritmo do chacoalhar dos vagões, lento talvez,
mas com a certeza de que se vai chegar a algum lugar...

Posted by Picasa

28.8.05

Verdade

"Não sei se é um dever sacrificar a felicidade e a vida pela
verdade...
Mas sei que é um dever, quando se quer ensinar a verdade, ensiná-la toda, ou então de jeito nenhum; ensiná-la claramente e sem rodeios, sem mistérios, sem reservas, sem desconfiar de sua força e da sua utilidade...
Pois quanto mais grosseiro o erro, tanto mais curto e direto o caminho que conduz à verdade; em contrapartida, o erro refinado pode manter-nos eternamente afastados da verdade, tão difícil nos é reconhecê-lo como erro...
Aquele que só pensa em vender a verdade sob toda espécie de máscaras e artifícios poderia ser seu rufião, nunca seu amante."
 
Lessing

22.8.05

O Amor Não Acaba

Um homem e uma mulher vivem uma intensa relação de amor, e depois de alguns anos se separam, cada cada um vai em busca do próprio caminho, saem do raio de visão um do outro. Que fim levou aquele sentimento? O amor realmente acaba?
O que acaba são algumas de nossas expectativas e desejos, que são substituídos por outros no decorrer da vida. As pessoas não mudam na sua essência, mas mudam muito de sonhos, mudam de pontos de vista e de necessidades, principalmente de necessidades.
O amor costuma ser amoldado à nossa carência de envolvimento afetivo, porém essa carência não é estática, ela se modifica à medida que vamos tendo novas experiências, à medida que vamos aprendendo com as dores, com os remorsos e com nossos erros todos.
O amor se mantém o mesmo apenas para aqueles que se mantém os mesmos.
Se nada muda dentro de você, o amor que você sente, ou que você sofre, também não muda. Amores eternos só existem para dois grupos de pessoas.

O primeiro é formado por aqueles que se recusam a experimentar a vida, para aqueles que não querem investigar mais nada sobre si mesmo, estão contentes com o que estabeleceram como verdade numa determinada época e seguem com esta verdade até os 120 anos.


O outro grupo é o dos sortudos: aqueles que amam alguém, e mesmo tendo evoluído com o tempo, descobrem que o parceiro também evoluiu, e essa evolução se deu com a mesma intensidade e seguiu na mesma direção. Sendo assim, conseguem renovar o amor, pois a renovação particular de cada um foi tão parecida que não gerou conflito.

O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice.
Paixão termina, amor não.

Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa.

Aristóteles

Pensamento

"Muitas pessoas pensam que a felicidade somente será possível depois de alcançar algo, mas a verdade é que deixar para ser feliz amanhã é uma forma de ser infeliz." 
Roberto Shinyashiki

19.8.05

Vida

"Não coma a vida com garfo e faca.
Lambuze-se!
Muita gente guarda a vida para o futuro.
Mesmo que a vida esteja na geladeira, se você não a viver, ela se deteriorará.
É por isso que tantas pessoas se sentem emboloradas na meia-idade.
Elas guardam a vida, não se entregam ao amor, ao trabalho, não ousam, não vão em frente.
Não deixe sua vida ficar muito séria, saboreie tudo o que conseguir: as derrotas e as vitórias, a força do amanhecer e a poesia do anoitecer.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz você precisa aprender a gostar de si, a cuidar de si e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do Jardim para que elas venham até você."


Mário Quintana

Maturidade*

Maturidade é a habilidade de controlar a ira e resolver as discrepâncias sem violência ou destruição.
Maturidade é paciência; é a vontade de deixar para depois o prazer imediato em favor de um benefício a longo prazo.
Maturidade é perseverança; é a habilidade de levar um projeto ou uma situação adiante, apesar de forte oposição e retrocessos decepcionantes.
Maturidade é a capacidade de encarar desgostos e frustrações e derrotas sem queixa nem abatimento.
Maturidade é humildade; é ser suficientemente grande para dizer me enganei; e, quando está correta, a pessoa madura não necessita experimentar a satisfação de dizer: "te falei".
Maturidade é a capacidade de tomar uma decisão e mantê-la. Os imaturos passam suas vidas explorando possibilidades, para, no fim, nada fazerem.
Maturidade significa confiabilidade: manter a própria palavra, superar a crise. Os imaturos são os mestres da desculpa, são os confusos e desorganizados; suas vidas são uma mistura de promessas quebradas, amigos perdidos, negócios sem terminar e boas intenções que nunca se convertem em realidade.
Maturidade é a arte de viver em paz com o que é impossível mudar.


*autor desconhecido

16.8.05

Neurônios Desencontrados

Tenha cuidado
Onde pisa
Você pode estar andando
No lado errado da vida
Se não puder fazer
Não prometa
Não minta
Não faça
Não alimente
Falsas alegrias
O que tiver de ser
Vai acontecer
Mesmo que de um jeito
Completamente
Diferente
Porque as pessoas
E as coisas
Nunca são
O que parecem
Deixe de lado
O medo
Os bloqueios
Seja honesto
Com você mesmo
Não desdenhe
Não julgue
Não finja
Não se deixe levar
Por águas desconhecidas
O tempo sempre vai dizer
Seja inteiro
Seja leve
Seja sempre
Não dói.


Carol Aragón

15.8.05

40 Luzes

Não sei se eu devia esperar algo de diferente além das quatro dezenas de velinhas que eu acabei não apagando.
Tinha que ficar sério, circunspecto como cabe a um senhor de meia idade?
Teria eu que, a partir desta data, sentir algo de novo, ou sentir-me velho?
Será?
Penso em tudo o que passou, as possibilidades e chances que perdi ou deixei passar, a melhor parte da juventude enrolado num projeto de família com alguém que mal sabia o que é projeto.
É impossível deixar de lado a angústia das coisas não realizadas, não vividas e não divididas. É difícil não lamentar o tempo e a energia gastos com pessoas ou coisas das quais eu deveria ter ficado distante, ou nunca ter conhecido.
Porém são estas dores que me deram a chance de sonhar e buscar outro projeto, de querer viver um outro tipo de juventude, de estar pronto para não querer, nunca mais, deixar as chances passarem.
De saber que o tempo e a energia gastos com coisas ou pessoas, hoje, é porque eu quero e não são impostas por ninguém, bem como a vontade de estar por perto de tudo o que vale a pena.
Não lamento de não ter apagado 40 velinhas. Pelo contrário, eu preferia recebê-las apagadas, e então, eu as acenderia, para que não houvessem mais trevas em meu caminho, somente o calor e a segurança da luz.

A Crise dos 40

PAUL VARJAK
Agora que cheguei aos 40, percebi quanto sinto falta de algumas coisas. Sabe aquela sensação de liberdade que vinha no último dia de aula? Aquela que te invadia quando você percebia que tinha dois meses e meio sem estudar, só para você? Para fazer o que quisesse? É claro que, enxergando aquela sensação com os meus olhos quarentões, a liberdade não era tanta assim - e havia, para falar o mínimo, os limites da falta de dinheiro. Mas que a sensação era maravilhosa, era.
E a descoberta?
Muita gente falaria do sexo, do amor, do primeiro beijo. É claro que tudo isso foi lindo (um pouco sofrido também), mas a melhor sensação de descoberta, para mim, veio quando eu li Julio Cortázar pela primeira vez. E pela segunda. E pela terceira. E quando eu li a obra inteira. E escolhi os melhores livros. E os melhores contos. E comecei a escrever ficção por causa dele. E achei que iria ser um escritor tão bom quanto. É claro que não iria. Mas essa era uma época de sonhos - e sonhar era tão bom.
Isso me leva à terceira coisa que eu sinto falta - os sonhos.
A última vez que eu tive um sonho, eu realizei. Só que esse sonho era ligado ao trabalho, então não vale. Eu tinha tantos sonhos para mim. Olha eu aqui fazendo 40 anos e sem chegar perto do que sonhava aos 20.
Quer mais uma? A originalidade. Quando eu tinha 20 anos, cheguei a uma conclusão fantástica. Bem, a Terra, hoje, tem, sei lá, 10 bilhões de pessoas, certo? Então, estamos falando de 10 bilhões de almas (fora as que estão no plano etéreo, esperando para encarnar). Ora, há 2 mil anos, não havia mais de, hmmmm..., 10 milhões de pessoas na Terra. Então, de onde vieram essas almas? As almas se multiplicam também?
Que sacada! Criava celeuma em conversas, instigava as pessoas. Aí, quando estava com 30 e poucos anos, vi um filme com Ethan Hawnke e Julie Delpy. Eles se conheciam num trem e passavam uma noite juntos numa cidade européia, esperando uma condução. E não é que, lá pelas tantas, o Ethan não levanta as sobrancelhas e tasca minha teoria, sem mudar uma palavra?
Fiquei pensando. Será que eu ouvi isso de alguém e me apropriei? De jeito nenhum. Foi então que me caiu a ficha: aquela idéia não era original. Era uma coisa banal, que várias pessoas poderiam ter sacado - e, é óbvio, sacaram.
O pior de ter 40 não é isso. É não ter certeza se os pensamentos ou as frases inteligentes que você fala são seus de verdade. Às vezes, você ouve e repete, achando que foi um gênio maquinando aquilo. Foi nada. Você é só um pouquinho mais inteligente que a média, mas se acha o máximo porque fala umas coisas engraçadas nas reuniões com os amigos.
Até parece que minha vida é um horror total. Não é. Muito pelo contrário. Mas ultimamente eu estou tomado pelo lado escuro da Força. Em alguns momentos, somente em alguns, eu volto a ser o Anakin Skywalker. Na maioria das vezes eu sou mesmo o Darth Vader.
Como eu queria ser Anakin de novo...

12.8.05

Recomeçar

Recomeça ...
Se puderes,
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
do futuro,
Dá-os em liberdade
Enquanto não alcances,
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.
:

11.8.05

...e o sol...

Parece que agora o tempo vai firmar. Tava naquilo de chove-e-pára, vento, frio...tomara que fique assim no final de semana também.
 

10.8.05

Primeiros Erros



Kiko Zambianchi

Meu caminho em cada manhã
Não procure saber onde estou
Meu destino não é de ninguém
E eu não deixo os meus passos no chão
Se você não entende, não vê
Se não me vê, não me entende

Não procure saber onde estou
Se o meu jeito te surpreende
Se o meu corpo virasse sol
Se a minha mente virasse sol
Mas só chove, chove
Chove, Chove

Se um dia eu pudesse ver
Meu passado inteiro
E fizesse parar de chover
Nos primeiros erros
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria sol
Mais só chove, chove
Chove, Chove
Posted by Picasa

7.8.05

Preguiçaaaaa!!!

É, eu sei que ando preguiçoso. Só reproduzindo textos dos outros.
É preguiça sim, ué, por quê não?
Tanta que ainda nem arranjei um nome decente pra esse blog.
Venho aqui, dou uma ajeitada nos posts anteriores, ou encontro uma coisa legal, prego uma foto junto e pá!
Tenho que me organizar...

1.8.05

Não Somos Iguais

Eu vou começar, começar tudo de novo 
Voltar pro boteco e cantar tudo de novo  
Porque eu sou muito novo, e com cara de novo  
Porque eu não tenho medo de começar de novo  
Nos últimos tempos, eu tenho sido bobo  
Eu me esqueci como era bom eu parecer um bobo  
E agora eu vou ser o cara mais feliz do mundo  
Mas não vou me esquecer de quem eu fui quando era novo   
Se a nossa felicidade incomoda tanto os outros  
Vamos incomodar até chamar a atenção de todos  
Eu vou beijar a tua boca, sem me preocupar com os outros  
Afinal de contas, nós não somos iguais  
Não somos iguais  
Não somos iguais aos outros  
Não somos iguais   
Eu vou falar de amor como eu falava antes  
De um jeito simples, que antes parecia louco  
De uma loucura muito boa, das coisas que eu sentia antes  
Antes que eles dissessem que eu estava ficando louco  
É, eu sou assim, um cara meio tonto  
Eu fico tonto só de ver que alguém já está ficando tonto  
E tento ajudar a todos os que ficam tontos  
E assim quem faz papel de tonto sou eu mesmo   
Se a nossa felicidade incomoda tanto os outros  
Vamos incomodar até chamar a atenção de todos  
Eu vou beijar a tua boca, sem me preocupar com os outros  
Afinal de contas, nós não somos iguais  
Não somos iguais  
Não somos iguais aos outros  
Não somos iguais