Image hosted by Photobucket.com

Recomeçar


Recomeça...

Se puderes

Sem angústia

E sem pressa.

E os passos que deres,

Nesse caminho duro

Do futuro

Dá-os em liberdade.

Enquanto não alcances

Não descanses.

De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,

Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.

Sempre a sonhar e vendo

O logro da aventura

És homem, não te esqueças!

Só é tua a loucura

Onde, com lucidez, te reconheças...


Miguel Torga


Nome:
Local: Porto Alegre, RS, Brazil

Procurando respostas...

Zoundry Blog Writer

Tire todas as suas dúvidas sobre blogs.

Divulgue o seu blog!

All Images Hosting

Follow sansei10 on Twitter

31.8.06

BlogDay

Um pouco atrasado, pois minha conexão hoje só resolveu funcionar depois das 14 horas. Bueno, hoje é o Blog Day e, numa forma inteligente de comemorar a data, cada blogueiro indica 5 blogs(pelo menos)para difundir os endereços e/ou os autores que mais lhe agradam.
Aqui vão os meus:
 
Da Janela: Tita Aragón é uma garota gaúcha extremamente inteligente, que escreve com um talento incomum.
 
Tic-Tac: Cristina Ferraro expõe sua sensibilidade de maneira delicada, uma garota que nunca deixou de lutar e nem de acreditar.
 
Morte Súbita: 4 gurias com muito a dizer, sempre com talento.
 
The Road Not Taken: Dalva: ela ainda vai publicar um livro...e se não vai, devia!
 
Meio Bit: o endereço certo para quem quer saber, de maneira descontraída, o que rola na informática e até no que não tem nada a ver com.
 
 

18.8.06

Cuma?

Acabei de ver na propaganda eleitoral um candidato à deputado estadual afirmando que, se eleito for, pretende extender a inclusão digital à hotéis e MOTÉIS...
Hotéis? Ué, mas isso é um serviço oferecido de acordo com o estabelecimento, e até onde sei, pobre não se hospeda em um(eles mal tem uma casa, quanto mais condições para entrar num hotel).
Agora, MOTEL?
Ele conseguiu criar uma nova modalidade: depois da INCLUSÃO digital, agora vem a PENETRAÇÃO digital...

14.8.06

Pensamento Do Dia

Feliz é a namorada do Saci, pois se ela levar um pé na bunda, quem cai é ele...

Por Pensamento do Dia

Amigão


Hugo Chaves visitando Fidel no hospital:
-Hay que endurecer, pero...

10.8.06

Mascote Alternativo

8.8.06

Não Deixa Pistas...

Esta saiu no Blog do Cardoso:

"Atirem uma pedra de gelo com vontade em Silvia Popovic

A cetácea mais famosa da TV brasileira perdeu uma excelente oportunidade de enfiar o pé na boca, ao sugerir, em seu programa de TV, que as pessoas 'atirem pedras de gelo com vontade em gatos e cachorros que fazem barulho; o gelo machuca mas não deixa pistas, pois derrete'.

Esquecendo que é uma formadora de opinião, a porcina apresentadora induziu, de forma irresponsável seus espectadores a um crime previsto em Lei, e acima de tudo a algo muito, muito idiota de se fazer. Se em suas insones noites solitárias enchendo o bucho de Hagen Dazs algum cachorro distante a incomoda, os bichos não têm nada a ver com isso. Se for usar a mesma lógica, Ela ofende esteticamente meus olhos, que preferem mil vezes a Luisa Mell. Então, proponho aqui, taquem pedras de gelo conforme a da ilustração acima na Silvia Poppovic, com vontade, e não se preocupem, gelo derrete e não deixa pistas."

 

Talvez Hagen Dazs demais corroa o cérebro...

Chega De Copa

Para encerrar definitivamente a série sobre a Copa do Mundo, reproduzo um e-mail que recebi hoje.
Esse Edson, que em sua resposta reproduziu o sentimento de milhões de torcedores, infelizmente não sou eu. Digo infelizmente porque o texto é de um brilhantismo e contundência...
 
O jogador Roberto Carlos, em seu blog, escreveu a mensagem abaixo e um torcedor (Edson) respondeu:.

ROBERTO CARLOS, 05/07/2006 19:25

Respeito ao Brasil

É muito triste para mim continuar vendo a Copa do Mundo sem poder mais ajudar o Brasil. Entendo a revolta que muitos estão da seleção, mas não posso concordar com os que desrespeitam os jogadores que foram defender o Brasil.
Não acho justo, sei que lutamos muito e temos que ser no mínimo
respeitados.
Vejo o exemplo de outros países e me emociona ver que, mesmo na derrota, seus jogadores são respeitados. Estou em casa, muito chateado, ao lado daqueles que me amam e estou recebendo o apoio dos meus amigos verdadeiros.
Sinto muito por não estar na final, mas tenho certeza que fiz o meu melhor.
Acabei de ver a semifinal da França, torci muito pelo meu amigo Felipão, mas pude comprovar que chegou a final um grande time. Chega de tentar achar culpados, vamos pelo menos uma vez entender que futebol é assim, nem sempre se pode vencer. É isso que faz a paixão por esse esporte ser cada vez maior.
Teremos outras oportunidades para ganhar, e venceremos. Um abraço a todos que apóiam os jogadores do Brasil.

RESPOSTA

Prezado Roberto,

Como um torcedor comum, talvez eu possa lhe esclarecer alguns pontos que você levanta em sua singela mensagem, ao expressar uma certa mágoa com a nossa suposta ingratidão.
Você se sente injustiçado com o que chama de desrespeito do torcedor, dizendo-se emocionado com o exemplo de alguns países cujos torcedores foram gratos a seus representantes mesmo na derrota.
Pois eu também respeitaria os jogadores de minha Seleção, mesmo na derrota, se eles tivessem apresentado um futebol à altura de sua capacidade, como fizeram os ganeses, se tivessem retribuído o carinho de sua torcida em campo como fizeram os croatas, se tivessem lutado como homens ou chorado como crianças, como fizeram os argentinos.
Eu sei que a frase está meio gasta, mas respeito não se exige, se conquista; e nem eu nem muitos outros brasileiros poderiam aceitar um time alienado, estrelado, que se retira do campo sem sequer olhar para a torcida que se encontrava no estádio, a mesma que o apoiava a cada vitória insossa e enganosa. Menos ainda os jogadores que saem pelas portas dos fundos dos hotéis para fugir às suas responsabilidades de detentores das esperanças daqueles que são os verdadeiros pagantes de seus salários.
Tampouco podemos respeitar um plantel que custa - embora não valha - 1 bilhão de dólares dar dois chutes a gol em noventa minutos. Não podemos igualmente ser gratos a um jogador que gasta a enormidade de oito segundos ajeitando suas meias enquanto uma falta é cobrada perto de seu gol.
Como podemos ser solidários a uma equipe técnica patética, arrogante e incompetente que não se digna sequer a responder as perguntas que não convêm?
Como podemos respeitar um treinador que não dá treinos táticos, que arma um mesmo esquema para jogar contra a França ou contra o ASA de Arapiraca, covarde para fazer amistosos com seleções como a de Lucerna, que não é capaz de afastar jogadores por deficiência técnica ou física quando necessário, talvez para não desagradar algum patrocinador?
Será que os treinadores dessas seleções que você tanto admira um dia se referiram aos torcedores como "caixas de ressonância" da imprensa, sem capacidade de ter opinião própria, com isso tentando atribuir aos outros a própria burrice?
Como respeitar jogadores que, ganhando milhões de euros, se comportam como primas-donas fora e dentro do campo, esquecendo-se de sua função precípua de empurrar uma merda de uma bola para uma rede? Se não fosse a nossa paixão por ela, a bola, que emprego você imaginaria ter hoje em dia, e ganhando quanto?
Você escreve uma mensagem pretensamente humilde, mas não perde a oportunidade de alfinetar o leitor ao dizer que está "em casa, muito chateado, ao lado daqueles que me amam e recebendo o apoio dos meus amigos verdadeiros".
Bela tentativa de nos acusar de infidelidade e ingratidão, mas não se esqueça que nós não somos mesmo seus amigos. Somos torcedores, fãs ou marias-chuteiras como estas que te escrevem neste blog, mas não temos laços nem obrigações de amizade com você. Peça amizade a seus amigos, se é que você tem algum mesmo, e dê-lhes amizade em troca; da nossa parte, só queremos profissionalismo e respeito.
É estranho que você, que nunca prestou serviço algum* a este país, e nunca abriu a boca contra a injustiça e a roubalheira que somos obrigados a enfrentar em nosso dia-a-dia*, peça agora solidariedade ao Brasil. Nós temos direito sim de esperar que, apesar dos euros, das modelos, dos puxa-sacos e dos corruptos que o cercam no seu dia a dia, você cumpra com a sua obrigação fazendo por merecer cada centavo que recebe quando joga pelo seu time, e que respeite o país que o gerou um pouco mais do que os países que lhe aculturaram, e, como vampiros, roubaram a sua alma original. Deus te proteja de perder a fama e o dinheiro que um dia a bola te deu, para que você não tenha de descobrir quantos amigos de fato você tem, e quantas mulheres realmente te desejam.
Você diz que não é hora de procurar culpados. Não se trata de achar culpados, mas sim de encontrar responsáveis. Se esse preparador físico que posa de técnico não se apresentasse como infalível, intocável, inatingível, e acima do bem e do mal, protegido das críticas por uma emissora espúria e mal-intencionada, talvez não cobrássemos tanto dele. É claro que não se pode vencer sempre, mas se for para perder, que seja como em 82 ou 86, de cabeça erguida, por obra da fatalidade e não da indiferença, da inoperância e da covardia.
Não se preocupe com a sua dor, com certeza ela logo passa. Vá a bons restaurantes, termine a noite numa boate, faça comerciais pagos, ou assista a um desfile de moda e escolha uma imbecil qualquer para levar para casa que você vai se sentir bem melhor. A nossa dor, esta sim, por uma infinidade de razões que você já se esqueceu, parece que vai durar para sempre.
 
*os grifos são meus.

2.8.06

No Lula!

Eu quero um adesivo desses!

Fonte: Coluna Digital

Estaré Prendido En Tus Dedos

Skank

Gordon / Sting / Summer
Versão: Chico Amaral


Para ti yo soy un aprendiz 
Preso entre Escila y Caríbdis 
Hipnotizado si vacilo 
Mirando en tu dedo el anillo  
Solo vengo aquí para saber 
Cosas que no me dijeron ayer 
Puedo ver el destino que vendes 
Banda de oro en el dedo que extiendes  
Estaré prendido en tus dedos
Estaré prendido en tus dedos
Mefistofeles no es tu apellido 
Un poco más y lo habría sido 
Escucharé bien todo lo que dices 
Verás lo que pueden los aprendices  
Estaré prendido en tus dedos
Estaré prendido en tus dedos
Diablo y mar profundo están detrás 
Un segundo y no me encontrarás 
Tornaré tu rostro en alabastro 
Sabes que tu siervo es tu maestro  
Estarás ahora en mis dedos
Estarás ahora en mis dedos